Discurso - Assinatura de convênios com municípios 20131004

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de convênios com municípios

Local: Capital - Data:10/04/2013

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Boa tarde a todas e a todos! Cumprimentar o nosso presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Samuel Moreira. Em seu nome abraçar toda a bancada de deputadas e deputados estaduais presentes; os nossos secretários de Estado: chefe da Casa Civil, deputado Edson Aparecido, falou aqui em nome dos seus colegas secretários: Edson Giriboni, do Saneamento; Bruno covas, do Meio Ambiente; Hermann Voorwald, da Educação. Coronel Aurélio, chefe da Casa Militar; Davi Zaia, também Gestão Pública; Edmundo Mesquita, do Desenvolvimento Metropolitano; Prefeito de Mogi Guaçu, o Walter Caveanha, cumprimentando aqui todas as prefeitas, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretário Lobbe Neto, presidente do Cepam; amigas e amigos. O Walter Caveanha lembrou que nós fomos eleit os em mil... século 18? Não, 1976. A deputada Vanessa Damo e a Ana Carla, prefeita, não tinham nascido ainda. E o nosso mandato foi tão bom, Edson Aparecido, que o povo pediu para a gente continuar, então foi prorrogado, passou de 4 para seis anos. Aliás, um fato interessante: Nós tivemos até hoje, dois mandatos de seis anos. O nosso foi prorrogado de 4 para 6 para coincidir as eleições. Quando o governador Montoro foi eleito em 1982, estava coincidindo, a eleição foi coincidente. Ele governador, senador, deputado federal, estadual, prefeito e vereador, seis votos no mesmo dia. Depois fizeram um outro mandato de seis para descoincidir de novo. Mas o fato é que nós estamos muito felizes aqui de recebê-los, celebrando aqui uma boa parceria. Estado e Município quando se unem é nota 10. Quem ganha é a população. Em áreas estratégicas, educação: é creche, é reforma de escola, ônibus escolar. Aliás, ônibus não. Ônibus você vai co mprar, não é? Recursos hídricos: ligação de esgoto, Se Liga na Rede, água limpa; Meio ambiente: Caminhão compactador, o município [ininteligível] equipamentos; Defesa civil: pontes, combate a erosão; Planejamento: Infraestrutura urbana, galeria, asfalto, enfim. Governar é escolher e quem está mais perto da população escolhe melhor. Os municípios, prefeitos, deputados que estão perto da base. Então, escolhem bem para a gente poder aplicar o dinheiro público. E de um outro lado, de maneira mais rápida, junto ao município e tornando os municípios mais fortes. Os estados eles não existem, isso é abstrato, figura jurídica. Se tirar os municípios o estado vira uma abstração. O que existe são os municípios. E o Estado de São Paulo é forte porque os seus municípios são fortes, o desenvolvimento de São Paulo nasce pelo município e se espalha pelo nosso estado. Então, contem conosco para a gente reforçar todas as parcerias, convênios, iniciativas, conjuntas em benefício da população. Eu quero aqui agradecer aos nossos secretários, cumprimentando todos eles. E a articulação que o Edson Aparecido na Casa Civil faz, é importante esse trabalho federativo de interação das unidades da federação. E cumprimentar a Assembleia Legislativa. Abraçar aqui todos os deputados. E o Samuel Moreira me dizia que não adianta dá quórum aqui, tem que dá quórum lá. Então, nós não vamos demorar para não atrapalhar o quórum lá. E cumprimentando Samuel. O Samuel está estreando, primeira vez como presidente da Assembleia em um encontro aqui de prefeitos. Mas ele falou uma coisa que eu também concordo: Ele já foi prefeito da sua cidade natal, Registro. Eu tive a honra de servir a população como vereador, prefeito, deputado estadual, deputado federal, vice-governador e governador. Se me perguntar qual foi o teu mandato popular que mais marcou a sua vida, eu não tenho dúvida em responder: foi prefeito. É a mais marcante. É a mais... Não tem monotonia, não tem monotonia. Ela é cheia de sobressaltos. Mas ela é muito marcante, porque você está muito perto da população. Mas eu quero encerrar, lembrar aqui para animar vocês: Naquele mandato, a gente assumia dia 1° de fevereiro, não é isso, Walter? 1° de fevereiro, não era 1° de janeiro. Aliás, vocês vão ter prorrogação também, acho que é 5 dias. É que a nova lei que está sendo discutida, não mais dar a posse ser dia 1° de janeiro. Eu acho que é 5 de janeiro, prefeito; 10 de janeiro, governador e 15 de janeiro, presidente da república, não é isso? Parece que a nova lei está sendo discutida no Congresso. Mas eu tomei posse no dia 1° de fevereiro e estreei com uma enchente. Tinha um bairro chamado Beira Rio. Você vê que o nome já recomenda: Beira Rio? Loteamento Beira Rio. O Beira Rio ficou debaixo d’água. Aí fui lá ajudar a população e marcarmos um mutirão para o sábado. Então, sábado vamos limpar o bairro. Tinha um valentão do Bambi. Aí eu fui ajudar o povo no mutirão. Prefeito, novinho, lá no meio da valeta, e tira sujeira da valeta e limpa o bairro e tal. Aí um amigo, colega meu de escola, passou, tinha um jipe, um Land Rover, aqueles Land Rover antigo. Passou com uma moça muito bonita do lado, buzinou ali em cima da estrada, olhei pra cima: “Pô, essa moleza vai acabar, não é?” Mas o fato é que a gente se reali za. Diz que a verdadeira vocação de cada homem, de cada mulher é servir as pessoas. Não há maneira maior ou melhor do que servir abraçando o conjunto do município. Contem conosco! Bom trabalho!