Discurso - Entega de 95 novos leitos para dependentes químicos do Instituto Bairral de Psiquiatria - 20122507

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso na Entrega de 95 novos leitos para dependentes químicos do Instituto Bairral de Psiquiatria

Local: Itapira - Data: 25/07/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos. Alegria de estarmos juntos aqui. Deputado Barros Munhoz, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo; vice-prefeito de Itapira, Antônio Carlos Martins; Dr. José Manuel de Camargo Teixeira, Secretário de Estado da Saúde em exercício; Alberto Luiz de Melo Rossato, presidente da Fundação Espirita Américo Bairral; Padre Aroldo, fundador da Instituição Padre Aroldo; presidente da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas; professor, Dr. Ronaldo Laranjeira, diretor do Instituto Nacional de Politica de Álcool e Drogas; professor, Dr. Sérgio Tamai, coordenador de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde; Dr. Nivaldo José Caliman, diretor Administrativo aqui do Instituto Bairral; Maurício Landre, coordenador Técnico da Comunidade Terapêutica Santa Carlota; Dr. Benedito Carlos Rocha, diretor Regional de Saúde; Coronel Luiz Alberto Sima; diretores e conselheiros da Fundação Américo Bairral; corpo clínico, colegas da área de saúde, amigas e amigos. Vamos começar por 2012, viu... 25 de Julho de 2012. É um dia histórico para o país. A área psiquiátrica de saúde mental, ela passou por várias reformas necessárias. A gente pegar aí 1950, 1960, Franco da Rocha, o Hospital Juqueri chegou a ter 15 mil pacientes, então era uma visão totalmente hospitalocêntrica, não é? Machado de Assis escreveu Alienista, né? Que ele vai internando, internando, até que ele interna a cidade inteira. Aí ele solta todo mundo e ele se interna, né? Aí veio a reforma psiquiátrica e fez o inverso: é proibido internar. A desospitalização em 24 horas. E não me parece também adequado. Então, eu vejo que o caminho é o caminho como nós estamos fazendo, um sistema de saúde hierarquizado, com uma visão integral da pessoa humana. Começa com a prevenção, prevenção primária. A Assembleia Legislativa aprovou uma lei... Quero agradecer ao Barros Munhoz que nós mandamos, proibindo, Padre Aroldo, venda e consumo de bebida alcoólica por menor de 18 anos de idade. O estado inteirinho, tão fazendo um trabalho permanente. Em um bar quando tem refrigerante, o álcool tem que está separado. E aquela mão: proibido para menor de 18 anos. Passou no supermercado trava, o caixa, se tiver bebida alcoólica e a pessoa ter que apresentar o documento se tiver duvida quanto a idade. Porque se começa a beber às vezes com 13 anos de idade, 12 anos de idade. E o alcoolismo precoce é um dos problemas na questão da drogadição. Depois o atendimento ambulatorial, equipes multiprofissionais, né, no sentido do atendimento ambulatorial. E casos em que há necessidade de internação e aqui um grande passo que é a comunidade terapêutica. Primeiro contato certamente do país, onde nós estamos fazendo aqui um trabalho pioneiro e com uma instituição que orgulha a saúde brasileira como é o Américo Bairral, 1937. Que este ano começou a ter residência médica em psiquiatria numa parceria com a faculdade de medicina da Universidade de São Paulo. 110 alqueires aqui em Itapira, que eu tenho a certeza vai ser um grande pomar, uma grande horta, uma grande atividade agrícola, ecoturismo, técnicas agrícolas, profissionalização, um trabalho muito bonito com as pessoas no sentido de unir a educação, saúde, autoestima, enfim, um trabalho pioneiro. Por isso a nossa palavra é de agradecimento, e são duas medidas importantes: 80 vagas aqui no Américo Bairral, aqui na Fazenda Comunidade Santa Carlota e 15 vagas para gestantes na cidade no hospital; nós já tínhamos 105 vagas, então com mais 95, 200 vagas em uma das instituições mais respeitadas, mais serias com enorme experiência nesse trabalho. Quero agradecer o professor Ronaldo Laranjeira, o grande parceiro do Governo do Estado na área da saúde mental, nós estamos avançando rapidamente, nós tínhamos há um ano e pouco atrás 242 leitos para tratamento de álcool e droga, hoje já são 441 leitos e chegaremos rapidamente a 700 leitos, ou seja, um empenho do Governo do Estado no enfrentamento dessa questão. Há um preconceito com saúde metal, dependência química que é doença como é apendicite, como é pneumonia é precisa de tratamento, né, e tratamento precisa ter recurso, precisa ter orçamento, precisa ter dinheiro, precisa ter gente preparada, precisa ter equipe, precisa ter instituições parceiras, então uma grande alegria, nós darmos um passo importante na saúde de São Paulo, que eu tenho certeza vai ser um bom rumo para o Brasil para gente avançar nesse grande desafio do nosso tempo do mundo moderno. Estando aqui em Itapira quero agradecer o Barros Munhoz, nós fomos prefeitos juntos, não éramos nem carecas, se bem que o Barros está firme, aí! Na década de 70, o nosso mandato foi tão bom que prorrogaram, não é? Mandato naquela época, presidente, era de quatro anos e aí foi prorrogado para seis, e eu era prefeito em Pindamonhangaba e tinha um prefeito vizinho que dizia no jornal que se prorrogasse, ele renunciava’, aí chamava Zé Armando de Piquete. Eu falei: Zé Armando, mas se... Em período militar, nós fomos eleitos, eu falei, mas se prorrogar, você vai renunciar? Ele falou ‘não, não vai prorrogar, isso é coisa da imprensa, jornal não tem notícia fica inventando moda, não vai prorrogar! E eu estou aí, já deu entrevista para Jovem Pan, para Rádio Eldorado de São Paulo’, aí prorrogou, o Congresso votou e prorrogou. Aí a imprensa foi em cima dele, ‘e a renúncia?’, ele falou ‘olha, eu vou fazer um plebiscito para saber se o povo quer que saia ou quer que eu fique?’, passou um mês à imprensa apertou, ele falou, ‘olha, a justiça eleitoral disse que o meu plebiscito não tem previsão legal! Então, eu vou fazer uma consulta popular pra saber se eu fico ou se eu saio?’. Passou mais uns quinze dias, ele falou, ‘olha, eu reuni os funcionários da prefeitura, e só do gabinete, e eles fizeram um apelo pra eu continuar, né?’. Mas, nós tivemos um mandato maior, não é Barros? Mas eu quero é agradecer aqui ao José Manoel o nosso Secretário da Saúde, o professor Giovanni Cerri está em viagem ao exterior; agradecer o professor Sergio Tamai, nós vamos ter mais um Hospital da Clinicas em Botucatu mais 72 leitos; no Hospital Cotoxó em São Paulo mais 40 leitos, CAISM da Água Funda mais 40 leitos, vamos ter referência em todo o estado: Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Vale do Paraíba de ter referências regionais. O nosso Cratod no Bom Retiro, na capital, passou a funcionar 24hs que é o centro de referência de combate ao álcool, droga e tabagismo uma referência também importante, e hoje aqui o Américo Bairral essa instituição orgulho de São Paulo e do Brasil, nossa parceira nesse trabalho aqui pioneiro. Parabéns. Bom trabalho a todos!