Discurso - Entrega de leitos para dependentes químicos em Mogi das Cruzes 20131709

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de leitos para dependentes químicos em Mogi das Cruzes

Local: Mogi das Cruzes - Data:17/09/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde a todas e a todos! Cumprimentar o nosso prefeito, anfitrião Marco Bertaiolli, a Mara Bertaiolli, trazer um abraço da Lu, que gostou muito daqui, de vir ao JORI; Cumprimentar o nosso vice-prefeito; Dr Cuco; O doutor Auricchio, secretário de Esporte, Lazer e Juventude; Doutor Wilson Polara, secretário de Estado Adjunto da Saúde; Deputado Andréa do Prado, deputado aqui, da nossa região; Daniel Annenberg, presidente do Detran; Doutor Geraldo Reple Sobrinho, coordenador do Serviço de Saúde do Estado; Doutor Eduardo Augusto Bidolin, diretor aqui, do hospital, nosso anfitrião, do Hospital Arnaldo Pezzuti Cavalcanti; Doutor Dirceu Jesus [ininteligível], delegado divisionário de Polícia, que nos colabora no Detran. Tenente coronel Nemar Luiz Limeira, comandante da região; Corpo clínico, administrativo, colegas aqui da área de saúde, amigas e amigos! Hoje é o dia de Mogi, não é? Nós começamos lá na perimetral, entregamos lá... estamos iniciando a obra, uma obra de 19 milhões, saiu por 14,8 milhões, a prefeitura fez a licitação. Nós vamos usar esses 4,2 milhões pra ampliar a perimetral, depois ali da AACD, onde vai ser também, o ginásio para desporto, fazer os acostamentos que ainda não tem. Então a perimetral vai ser toda ela recuperada, recapeada, acostamento aonde não tem, sinalização. Vai ficar muito bonito! Depois, tomamos um café - porque ninguém é de ferro, não é? Depois temos aqui, hoje, tivemos a assinatura com a Sabesp, nós temos os bairros da divisa, eu aprendi hoje que Mogi... Mogi tem quantos distritos? Seis.Seis distritos. Então nos bairros da divisa já tinha água, que watá mais perto de Suzano, então a Sabesp, Itaqua, Suzano, já colocou água. E hoje assinamos, nós vamos colocar também a coleta e o tratamento de esgoto nos bairros da divisa. Com o doutor Auricchio, assinamos aqui, para os Jogos Abertos do interior, que é agora, 26 de outubro. E eu dizia ao prefeito que eu me lembro, André, com muito carinho, eu perdi minha mãe com nove anos. E meu pai era um grande jogador de xadrez, meu pai foi campeão do estado, do ranking brasileiro. Então ele montou em Pindamonhangaba uma escolinha de xadrez. Isso... mamãe morreu em 63, 63, nos Jogos Abertos, no fim do ano, Pindamonhangaba, uma cidade pequena, enfrentando grandes cidades, foi campeã dos Jogos Abertos do Interior. Depois foi bicampeã de xadrez. Papai ensinou um menino que virou um dos grandes jogadores, Josino de Melo Rezende. Então, o meu pai... eram três tabuleiros: papai, o Josino e o seu Gê, que a gente chamava lá. E Pinda foi campeã, bicampeã. E eu, como ele não tinha com quem me deixar, ele me levava. Então, Jogos Abertos do Interior, 63, foi Rio Preto. Eu fui em uns três ou quatro Jogos Abertos. E se Deus quiser estaremos aqui, em outubro, aqui, vai superimportante. E é um estimulo para os jovens a prática de esporte, enfim, um tema relevante. Depois, também, a inauguração do Detran, do Ciretran junto do Poupa Tempo. Nós tínhamos três serviços eletrônicos, hoje tem 20, que a pessoa nem precisa ir no Poupa Tempo. Um jovem tirou uma carteira de habilitação, se ele não cometer nenhuma infração grave, um ano depois, ele tem a definitiva. Ele tinha que ir três vezes no Detran e uma vez, ele tinha que ir no banco. Quatro vezes, perder tempo, gastar dinheiro, despesa. Agora, ele recebe uma cartinha dizendo: “Parabéns, você tem direito à carteira definitiva. Recolha tanto de taxa. A carteira vai ser entregue na sua casa.” Não precisa ir nenhuma vez no Poupa Tempo, nem no Detran. Quantos têm acesso, teve o Detran, esse ano? Quanto? 53 milhões de acessos teve o Detran, nesses primeiros oito meses. E procurando levar esse padrão do Poupa Tempo, com funcionários, profissionais altamente qualificados e tecnologia de ponta. E liberando a Polícia Civil, que o Detran era ligado à Polícia Civil. Aí nós tiramos, passamos para o Poupa Tempo. Nós já liberamos 700 policiais, delegados, investigadores, escrivães, de um total de 1.400 policiais que vão voltar para a sua tarefa de polícia investigativa e judiciária na Polícia Civil. E aqui, a Saúde. É uma alegria voltar, eu acho tão bonito aqui essa antiga colônia, aqui, o Hospital Arnaldo Pezzuti. Um hospital que já tem mais de 100 leitos, não é? Mais de 100 leitos, mais de 40 leitos de UTI, que a gente está procurando aproveitá-lo ao máximo. Então duas grandes conquistas: abrir a clínica médica para a comunidade, integrá-lo à rede de saúde do município, que é um ganho para a comunidade, você ter profissionais altamente preparados para atendê-los. E segundo, começar o nosso programa de regionalização de saúde mental, especialmente dependentes químicos. Então começamos com 20 leitos para mulheres, inclusive grávidas, de um total de 60 leitos. E com isso completamos hoje 1.044 leitos só para dependente químico no estado de São Paulo. Infelizmente, o Brasil é hoje, o maior consumidor de crack do mundo e o segundo maior consumidor de cocaína do mundo, só perdendo para os Estados Unidos. Então é uma questão epidemiológica, de saúde pública. A ideia é, as equipes multiprofissionais - médico, psicólogo, enfermeira, assistente social, enfim, todas as equipes multiprofissionais atendem, no CAPS [ininteligível], grande parte resolve ambulatoriamente, se precisar internar, casos mais graves, você tem os leitos de retaguarda. E o Cartão Recomeço, que alguns, indevidamente, chamaram de Bolsa Crack. Não entenderam nada. É diferente a dependência química de outras doenças. Uma apendicite, você opera, tira o apêndice, costurou, bye, bye! Teve uma pneumonia, dá antibiótico, sarou, bye, bye! Dependência química é doença crônica e recidivante, se você não acompanhar, vai perder o tratamento. Então quando saí do hospital, não acabou. Começou o trabalho. É preciso arrumar emprego, reinserção social, novo plano de vida. Então às vezes não tem pra onde ir. Então o Cartão Recomeço não é para o paciente, nem para a sua família, é para a entidade que vai recebê-lo. Então ele não precisa ficar meio ano no hospital, basta ficar três semanas, duas semanas. Mas se houver necessidade, ele vai praa uma comunidade terapêutica, vai para uma comunidade terapêutica, que não é o hospital, e lá, ele fica um mês, dois meses, três meses, se qualifica, se recupera, faz um plano de vida, volta para a família, arruma um emprego, arruma uma profissão. Então o Cartão Recomeço é exatamente para essa reinserção. Alguns nem vão precisar. Mas aqueles que precisarem, você poder, ele ser atendido numa rede, no estado inteiro, que não é do governo. Entidades religiosas, entidades da sociedade civil e que a gente paga R$ 35,00 por di, para que ele possa ser atendido e ficar nessa comunidade terapêutica. Mas eu quero... Aqui nós estamos fazendo uma reforma também. Não é isso, [ininteligível] , mas R$ 12 milhões, uma reforma importante para a gente melhorar cada vez mais aqui o hospital. E agradecer o Bertaiolli, que é um grande parceiro! Eu quando vejo o Bertaiolli, lembro dos meus tempos de prefeito, que eu não era nem careca ainda, viu? E a gente fica entusiasmado, não é? De ver o amor com que as coisas, empenho, dedicação e como Mogi cresce, não é?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Trabalhador!.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Trabalhador, olha ai! E para onde a gente olha, está vendo a cidade, é impressionante, não é? Aliás, eu tenho um amigo que diz que a cidade ideal é a de 400, 500 mil habitantes porque ela tem tudo, mas não tem os problemas das megalópoles, não é? Então são cidades ideais, não é? Pena que não param nesse tamanho. Mas, enfim, é uma bela cidade e eu fico muito feliz de trazer aqui um abraço, voltar aqui à Mogi e cumprimentar aqui o Eduardo. Pedir ao doutor Davi Uip – o professor Giovanni Cerri fez um belo trabalho e o Davi vai dar continuidade e promover novos avanços. Então, pedir a ele que venha aqui a Mogi, visitar aqui o Arnaldo Pezutti, visitar o Luzia Pinho Melo, segunda-feira já começa a ressonância magnética, já para funcionar, quimioterapia já está funcionando, radio terapia, nós vamos ter dois aceleradores lineares, sistema de radio terapia e a nossa sociedade, que é o hospital de Brás Cubas, que é um novo hospital. Eu espero deixar um abraço. E se precisarem de um modesto anestesista, me chamem aí! Bom trabalho a todos! para vocês!

[APLAUSOS] Região Metropolitana de São Paulo