Discurso - Entrega do ambulatório do Hospital Regional Sul 20131607

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega do ambulatório do Hospital Regional Sul

Local: Capital - Data:16/07/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia a todas e a todos! Quero cumprimentar o nosso secretário de estado da Saúde em exercício, o professor José Manoel de Camargo Teixeira; deputado federal Arnaldo Faria de Sá. Ontem, estivemos juntos lá em Caieiras inaugurando uma obra importante. Deputado, líder do governo na Assembleia, deputado Barros Munhoz, que foi subprefeito aqui de Santo Amaro. Deputado Estadual Osvaldo Virgínio. O José Turim, também aqui da região, nosso suplente de vereador. Dr. André de Felice, coordenador do serviço de Saúde. Dr. Roberto Câmara, diretor do Hospital Regional Sul. A Dra. Ana Maria Braga, diretora clínica administrativa do ambulatório. Todos os colegas profissionais da área de saúde, aqui do ambulatório, do hospital, amigas, amigos. Dizer da alegria de hoje... Primeiro, lembrou bem o Barros, vir a Santo Amaro, ser santoamarense é um estado de espírito, e aqui nasceu essa pujança da metrópole de São Paulo. E, depois, para entregarmos uma obra importantíssima, que é o ambulatório, ele foi totalmente reformado e equipado. Temos hoje aqui 27 especialidades que são atendidas, temos raio-X, serviço de apoio diagnóstico e terapêutico, mamografia digital, audiometria, exames laboratoriais, topocitologia, eletrocardiografia, já chegaram os aparelhos para os testes urodinâmicos, está chegando uma nova ultrassonografia. Enfim, nós vamos deixar aqui o mais moderno e bem equipado, aqui, o ambulatório aqui do Hospital Regional Sul. A segunda boa notícia é a implantação do ambulatório, que vai ser aqui readequado para fisioterapia, acupuntura e pré-diabético. Então, o segundo avanço que nós teremos aqui no ambulatório. O terceiro, anexo ao hospital, nós teremos a parte nova de farmácia, cozinha, refeitório e vestiários também de funcionários, mas aqui no Regional Sul. A quarta boa notícia é que nós compramos o hospital aqui do lado, que estava há 12 anos um prédio parado, que é o Hospital Santa Marta. Então, nós adquirimos o hospital Santa Marta, foram R$ 35 milhões, compramos também um terreno do lado. E, hoje, autorizamos aqui R$ 36,3 milhões, R$ 26 milhões em obra. Nós vamos, imediatamente, fazer a reforma do hospital, e mais R$ 10,3 milhões em equipamentos. E nós queremos, Dr. José Manoel, duas obras simultâneas. Ou seja, à medida que já reforma uma parte do Santa Marta, nós precisamos reformar o Hospital Regional Sul, que é um prédio antigo e precisa ser modernizado. E aí nós teremos dois hospitais praticamente novos, o complexo hospitalar, que o Dr. José Manoel bem falou aqui, do HC da zona sul, o complexo hospitalar. Então, o Santa Marta, a gente reforma rápido, porque ele já está pronto, não foi usado. Uma parte já poderia mudar para lá e já começa também a reforma do Hospital Regional Sul. Então, além do ambulatório aqui ampliado, dois hospitais muito bem equipados, modernizados para poder atender o SUS e atender aqui a população. E para todo mundo chegar mais depressa, em janeiro, nós vamos inaugurar a estação do metrô Adolfo Pinheiro. Então, em seis meses, temos mais 11 estações até chegar lá em Santa Cruz e Chácara Klabin. Nós vamos ter aqui nessa Linha 5, três “shields”, três tatuzões simultâneos. Já desceu o primeiro deles. Só aquela broca que vai rasgando as rochas, ela tem 150 toneladas, e 20 motores atrás para ir... E já, ao mesmo tempo que vai avançando o túnel, vai concretando. E é o maior tatuzão da América Latina, tem quase 11 metros de largura o túnel. E, no outro trecho, serão dois menores, porque são túneis separados. Nós vamos ter um trecho que um túnel vai e o outro volta, e tem uma parte que eles são em conjunto. Mas, a engenharia mais desafiadora se faz aqui, nessa casa da vida, da saúde, de recuperar a saúde das pessoas e tratar quem está precisando. E fica aqui o desafio! Temos que entregar rapidamente o ambulatório de fisioterapia, de acupuntura e do pré-diabético. Temos que entregar, aí é no Regional Sul, não é? Não, o ambulatório é aqui, mas a parte de farmácia tudo é aqui. Prédio de apoio e farmácia, entregar rapidamente lá. E o hospital já está comprado, agora é licitar o mais rápido possível. E a gente podia, está aqui o nosso engenheiro, a gente podia fazer de tal maneira que a gente possa, à medida que vai ficando pronto, já ir transferindo uma parte para também já reformar o Hospital Regional Sul. A medicina, a saúde, de maneira geral, anda muito depressa. Eu me formei ontem, para ser generoso, e no meu tempo de recém formado não existia tomografia, não existia ressonância magnética, isso tudo não existia. Quem é que tinha um celular há 20 anos atrás? Ninguém tinha, e quem tinha, se caísse no pé, quebrava o pé. Então, as coisas mudam muito depressa e nós precisamos estar ali na ponta, na vanguarda para dar mais segurança aos nossos pacientes e oferecer o que há de mais moderno e com qualidade para atender a nossa população. Queria aqui agradecer aqui o professor Giovanni Cerri, que está aqui representado pelo José Manoel, que o Giovanni está fora do país. Nós estamos também, só aqui na área sul, nós estamos com o hospital lá de Heliópolis, já entregamos toda a parte da rede Hebe Camargo, do tratamento do câncer, a parte de quimioterapaia e, agora, vamos entregar a radioterapia. E o Hospital Federal da Vila Mariana, da Unifesp, nós estamos fazendo a obra, 77,3 bilhões para recuperar lá, o prédio. Pronto socorro, readequação de UTI, radioterapia, cirurgia endovascular, hemodinâmica, modernização de diagnóstico, enfim, maternidade, todo o trabalho, no Hospital de São Paulo, que é federal, e também estamos ajudando a Santa Casa de São Paulo e a Santa Casa aqui de Santo Amaro, que é extremamente importante. Nós vamos ter aqui na região complexo hospitalar mesmo, que você vai ter o Regional Sul, o Ambulatório, a Santa Casa e o Santo Amaro. É... Não, aí já é mais... Tem o Pedreira, tem Grajaú, Pirajussara, enfim. Aliás, um fato interessante, no Hospital Regional Sul e no Ambulatório, os dois juntos, quantos funcionários nós temos? 1.670. A área de serviços, especialmente de saúde, vai ser uma das maiores empregadoras do mundo, o que é muito bom, porque a agricultura mecaniza, vai pondo máquina, máquina, máquina, não precisa de gente. Indústria robotiza, aquilo que a pessoa fazia, o robô, ela repete, ela faz, você só programa. O emprego é serviço, e olha que só um complexo desse, 1600, nós vamos quase dobrar aí com os novos hospitais, novos serviços, o que é muito bom, do ponto de vista de oportunidade, de trabalho. Mas agradecer aqui ao Dr. Roberto Câmara, agradecer a Dra. Ana Maria Braga, em nome deles cumprimentar todos vocês colegas aqui da área de saúde, todas as atividades profissionais, a gente sempre trabalha em equipe, é multiprofissional, todo mundo aí para ajudar quem precisa. Agradecer o Arnaldo, que é Deputado Federal, um dos melhores deputados nosso no Congresso Nacional, tem lutado muito por São Paulo, pela área social, que é muito importante. Agradecer o Osvaldo Vergínio, que eu brinco com ele que é dos carecas que elas gostam mais. O Barros Munhoz, que foi nosso presidente da Assembleia, foi subprefeito aqui, botina amarela; o Zé Turecki, também é botina amarela. Enfim, mas deixar um grande abraço para vocês! Vamos correr com o nosso, o Covas brincava: “Olha, Geraldo, que salva o governo são os engenheiros, viu?” Então, vamos confiar nos engenheiros aí para a gente rapidamente poder implementar e poder entregar aí essas obras quanto mais depressa melhor para a nossa população. Parabéns a todos!