Discurso - Início das atividades do Centro Paraolímpico Brasileiro 20162305

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Início das atividades do Centro Paraolímpico Brasileiro

Local: [[]] - Data:Maio 23/05/2016

[Aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O ministro é mais alto, não é? Muito bom dia a todas e a todos. Quero saldar ao nosso ministro Leonardo Picciani, ministro do estado de Esporte, dizer da alegria de recebê-lo aqui em São Paulo nessa obra conjunta do Governo Federal e do Governo do Estado. A alegria de receber, agradecer ao ministro Aldo Rebelo, fez um extraordinário trabalho à frente Ministério, inclusive, aqui nesta boa parceria; vice-governador Márcio França, secretário do estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação; deputado federal Arnaldo Faria de Sá, representando a Câmara Federal; deputados estaduais, a Célia Leão, o Orlando Morando e o Itamar Borges; o Leandro Cruz, secretário nacional de Esporte, Lazer e Inclusão Social do Ministério; Ricardo Leyser, secretário executivo do Ministério do Esporte; os nossos secretários de estado, a professora Linamara Rizzo Battistella, secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência; secretária do meio ambiente, Dra. Patrícia Iglesias; secretário de Justiça e Defesa da Cidadania desembargador Aloísio de Toledo César; secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Dr. Paulo Gustavo Maiurino; o José de Lourenzo Messina, secretário de Esporte do Município; e a Dra. Mariana Pinotti, secretária também do município, representando nosso prefeito da capital Fernando Haddad; o Andrew Parsons, presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro; a Shirlene Coelho, atleta paraolímpica, campeã mundial de lançamento de dardo, em nome de quem cumprimento todos aqui os atletas e a todas e todos que nos alegram com a presença; prefeita de Cruzeiro, Ana Karen; de Jandira, o Gê; Paulo José Galli, vice-presidente de governo da Caixa Econômica Federal; Marcel Corazza, representando a construtora responsável pelas obras, a OAS; os responsáveis pelo livro ‘O Legado Paulista ao Esporte Paraolímpico’, a Eliane Miada, presidente da Associação Desportiva para Deficientes e o Dirceu Pereira Junior, o editor; presidentes de confederações, federações, associações, entidades de classe, amigas e amigos. É uma grande alegria. Aqui essa região era conhecida como a Febem Imigrantes. Aqui, ministro Picciani, nós tínhamos 2.500 adolescentes aprisionados. O governador Mário Covas lá atrás iniciou uma grande reformulação, acabou a Febem Imigrantes, como acabou também a Febem Tatuapé, hoje nem existe mais Febem, é Fundação Casa, pequenas unidades espelhadas por todo o Estado, perto da família, perto da família, trazendo a família para o trabalho socioeducativo. E nós temos hoje aqui de um lado a beleza do Parque Zoológico, o Parque do Estado, mata atlântica totalmente preservada, o parque Fontes do Ipiranga, onde nascem as águas do Rio Ipiranga, o rio da independência do Brasil. E aqui ao lado o maior centro de eventos da América do Sul, que acabou de ser inaugurado com centro de convenções, estacionamento para 4.500 veículos, área de feira, de exposição que é a Expo São Paulo, Expo São Paulo. E aqui o Centro Paraolímpico Brasileiro. Quando o governo lá atrás iniciou esse trabalho, nós logo já nos candidatamos: "Olha, São Paulo tem o time São Paulo, não é, tem os grandes campeões, campeãs, grandes atletas e o queremos que o centro seja aqui em São Paulo". Oferecemos o terreno, essa beleza de terreno, às margens da Rodovia Imigrantes, do lado de Centro de Exposições, pertinho do Aeroporto de Congonhas e ainda colocaremos recurso. Então, foram R$ 188 milhões do Governo Federal e R$ 112 milhões do Governo do Estado. Fizemos uma boa parceria e quem ainda não visitou, visite, vocês vão verificar que não há nada melhor do que o Centro Paraolímpico, não há no mundo nada melhor do que aqui foi feito.

[Aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós temos quase 10 hectares de área construída, engloba área de treinamento, treinamento, centro também de convenções aqui, hotel, hotel, restaurante, laboratórios, áreas de fisioterapia, instalações de indoor e outdoor, praça de eventos, área para condicionamento físico, área esportiva indoor, mesas de tênis, judô, halterofilismo, esgrima, canchas de bocha, voleibol sentado, quadras de basquete em cadeira de roda, quadra de rugby de cadeira do roda, arena de multiuso, quadrado de golbol. Aliás, assistimos aqui uma partida de golbol. Quadra de futebol de cinco, centro aquático com uma piscina, eu não vi ainda, uma piscina, não é, da que foi feita aqui, uma das piscinas é impressionante o centro aquático. Área expositiva de treinamento outdoor, quadras de tênis em cadeira de roda, pista de atletismo, circuito externo para triatlo, campo de futebol de sete, área de apoio aos atletas e público, área de controle de antidoping, áreas de trabalho, equipe técnica. Enfim, esse é um grande centro de treinamento, da ciência do esporte, dos avanços da ciência, enfim, para servir aqui a todos vocês. Nós, brasileiros, somos muito orgulhosos. Na Paraolimpíada, o Brasil já tinha sido, na anterior da anterior, o nono colocado entre as dez melhores equipes do planeta. Na última Olimpíada, o sétimo lugar, sétimo lugar. E nós estamos aí na torcida, não é? Na confiança para a próxima Olimpíada e a Paraolimpíada. Aqui, das 22 modalidades da Paraolimpíada, 15 estão aqui no Centro Paraolímpico, ministro Picciani, 15 das 22. Aclimatação dos nossos atletas para Paraolimpíada será também aqui. Terá um trabalho cotidiano e grandes eventos. Em novembro, a Paraolimpíada Escolar do país inteiro, nós vamos sediar. E, em março do ano que vem, o Pan-americano, as Paraolimpíadas do Pan-americano Juvenil, juvenil serão todas também aqui. Hoje, nós celebramos um convênio com o Centro Paraolímpico Brasileiro, que vai fazer todo o trabalho aqui juntos, e somos parceiro para a gente poder avançar ainda mais. Esse centro extrapola, né, a Paraolimpíada, ele é um estímulo a todos nós, a toda a sociedade brasileira. O esporte aproxima as pessoas, aproxima os povos, promove a paz, promove comércio, conhecimento do que é diferente, não é? O mundo melhora, e promove a saúde. A Dra. Linamara, como grande professora de Medicina, quantos por cento do corpo humano é água? Setenta por cento. Um bebê, 80% é água. Água parada estraga. Então, o mundo moderno é sedentário. Eu me lembro que o meu pai tinha uma caminhonete na fazenda, ele era veterinário, para erguer o vidro da caminhonete você virava halterofilista, não é, de tanta força. Hoje é tudo botãozinho, não é? Então, o mundo é sedentário, nós precisamos mexer o corpo. Então, vai melhorar saúde, saúde física, circulação, saúde mental, libera a endorfina, não é? Chama a barato do corredor, não é? O barato do corredor. Libera neuropeptídios de cadeia longa, faz bem para o cérebro, acaba com a depressão. Enfim, é só saúde, qualidade de vida para a população. Aliás, para nós que passamos dos 60, o bebê tem 80% de água, nós 70%, a conclusão é que nós vamos ficando mais enxutos, não é? Mas eu quero deixar um grande abraço, dizer que a casa é de vocês.

[Aplausos]. [[]]