Discurso - Reativação da navegação na Hidrovia Tietê-Paraná 20162701

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Reativação da navegação na Hidrovia Tietê-Paraná

Local: [[]] - Data:Janeiro 27/01/2016

[aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia a todos e a todos. Saudar os nossos governadores, a Rose, governadora em exercício do Mato Grosso do Sul; o Beto Richa, do Paraná; o Pedro Taques, do Mato Grosso; o Vilmar Rocha, representando o nosso Marconi Perillo; deputado Ademar Traiano, presidente da Assembleia Legislativa do Paraná; prefeito de Buritama, o Izair; o vice-prefeito ‘Vadão’ Careca; vereador Antônio Romildo, presidente da Câmara; deputado federal, nosso líder, Nilson Leitão; deputado federal, também nosso queridíssimo secretário de estado, Duarte Nogueira; secretário do Mato Grosso de Infraestrutura, Marcelo Duarte; Pepe Richa do Paraná; o Jaime Verruck, do Mato Grosso do Sul. Também quero cumprimentar os nossos deputados estaduais aqui presentes, Carlão Pignatari; o Itamar Borges e o Dilador Borges; João Boi, prefeito de Barbosa e presidente da Associação dos Municípios do Baixo Tietê e Aguapeí; o Jura, presidente da Ama; o Tercio, diretor do Departamento Hidroviário, capitão de Fragata, Luiz Alberto Vasconcellos; Romeu Pompeu de Pina, presidente da Goiás Gás; Antônio Carlos Garcia, gerente de operações da AES Tietê; o Edson Palmesan presidente do Sindicato dos Armadores de Navegação Fluvial do estado; o ‘Líbio’ Policarpo Andrade, coordenador da embarcação de turismo Odisseia; amigas e amigos e amigos. Uma palavra breve, mas dizer na alegria de retomarmos aqui essa grande hidrovia que tem 2.400 quilômetros entre o Rio Tietê e o Rio Paraná, indo lá da nossa hidrelétrica de Itaipu até lá em cima em São Simão e chegando até Anhembi no Rio Tietê. Retomada a navegação, nós o ano passado, em razão da seca, só teve transporte de curta distância, apenas um 1,5 milhão de toneladas de carga, este ano retomando a navegação de carga de longa distância nós devemos passar de 6 milhões de toneladas, e a nossa meta é rapidamente chegar a 8 milhões de toneladas de carga sendo transportada.

[aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Assinamos há quatro anos atrás com a presidente Dilma um convênio onde o Governo Federal coloca R$ 900 milhões e o Governo do Estado de São Paulo R$ 527 milhões, estamos substituindo as pontes, os trechos centrais das pontes para embarcação, o comboio passar direto, não ter que parar e passar a chata por chata, isso vai ganhar muito em termos de tempo. A grande obra vai ser licitada agora em fevereiro, porque o gargalo na hidrovia é o Pedral de Nova Avanhandava, esse é o gargalo, se der seca, você para. Então, nós vamos fazer o derrocamento, vamos explodir lá o Pedral, são dez quilômetros de explosão e de aprofundamento do canal de Nova Avanhandava para dar grande segurança para navegabilidade aqui da hidrovia. A substituição das pontes, a dragagem, melhor de atracação e como foi destacado, nós vamos, cada comboio, ele transporta 6 mil toneladas de carga, se o caminhão transporta 30 toneladas cada comboio tira 200 caminhões das estradas. E nós deveremos reduzir 100 mil viagens de caminhão das rodovias este ano. Pega lá em São Simão vai até Pederneiras já passa para ferrovia e vai até o Porto de Santos. O custo de R$ 130 de tonelada pela rodovia reduz a R$ 100 por tonelada. E nós queremos reduzir de cinco dias o tempo de São Simão a Pederneiras para quatro dias, uma redução de 20%, um quinto, um dia a menos, ganhando em logística e reduzindo custos. Quero aqui dizer da grande alegria de receber aqui os nossos governadores, o Beto Richa do estado-irmão do Paraná, dizer a ele que sábado fui a Ribeira, na divisa, e passei a ponte, tomei um café lá em Adrianópolis, contribui com o ICMS lá do município.

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Visitei lá um grande investimento de quase R$ 1 bilhão, uma grande cimenteira de um grupo português lá. É uma grande alegria de tê-lo conosco, Beto. O Pedro Taques, nós temos que servir bons cafés aqui para o Pedro Taques, porque se ele resolver pedir de volta a Praça da Sé nós não vamos ter como pagar.

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Porque tem uma rodovia de São Paulo, Valmir, chamada Pedro Taques, lá no litoral, é o bisavô, bisavô. E o Pedro Taques bisavô deu a Praça da Sé. Então, nós ficamos muito... para província de São Paulo, que, aliás, era a mesma província, São Paulo, Mato Grosso, Paraná. Uma alegria estar aqui com a Rose, pode dizer para o nosso Reinaldo Azambuja que ele sempre pode, o Mato Grosso do Sul se fazer representado por você, viu? Eu sou prova.

ROSE MODESTO, VICE-GOVERNADORA DO MATO GROSSO DO SUL: Obrigada.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Dizer que conte conosco, nós somos um estado muito próximo, né? É impressionante. Campo Grande, São Paulo, essa irmandade que nós temos tão positiva, e nosso o queridíssimo Goiás, que Vilmar transmita lá ao Marconi. E nós estamos intimados, até não posso esquecer, anota aí, dia 22, sob pena de fuzilamento, né?

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Estaremos lá tomando um bom café, se Deus quiser, lá em São Simão. Quero deixar um abraço aqui a todos, e dizer que se o Rio São Francisco é o rio da unidade nacional porque nasce e termina no mar do Brasil, né, Minas, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, o Tietê junto com o Paraná, são os rios da unidade continental, porque além dos nossos estados aqui reunidos ainda o Paraguai, Argentina e Uruguai. E hidrovia, né, esse modal de transporte integrado à ferrovia, integrado à rodovia é o nosso grande desafio de competitividade, de geração de emprego e de renda. Muito, muito obrigado a todos.

[aplausos]. [[]]