Linha 5 - Lilás

De Infogov São Paulo
(Redirecionado de Linha 5-Lilás)
Ir para navegação Ir para pesquisar


Atualizado em: 12 de novembro de 2014
Li.jpg
Características Extensão: 9,4 km. Sete em operação (Capão Redondo, Campo Limpo, Vila das Belezas, Giovanni Gronchi, Santo Amaro e Largo Treze).
Média de passageiros por dia 250 mil passageiros por dia atualmente. Passará a atender 771 mil passageiros por dia quando for concluída a extensão de 11,5 km.
Número de conexões Conexão com a Linha 9 - Esmeralda da CPTM. Quando for concluída a extensão de 11,5 km e 11 novas estações a linha vai se comunicar com a Linha 17 - Ouro na Estação Campo Belo, com a Linha 1 - Azul, na estação Santa Cruz e, finalmente, com a Linha 2 - Verde, em Chácara Klabin.
Histórico Construída pela CPTM, era denominada "Linha G". Em 2001, o Governo do Estado de São Paulo transferiu a operação da Linha para a Companhia do Metropolitano de São Paulo, passando-se a chamar-se "Linha 5 - Lilás". O trecho inicial de 8,4 km de extensão foi entregue à população em 20 de outubro de 2002.
Cronologia
  • Março de 1998: inicio dos trabalhos da construção.
  • 20 de outubro de 2002: inauguração do trecho Capão Redondo-Largo Treze, operando das 10 às 15 horas.
  • 28 de outubro de 2002: início da operação comercial das 9 às 15 horas.
  • 18 de novembro de 2002: início da operação comercial das 8 às 15 horas.
  • 16 de dezembro de 2002: início da operação comercial das 7 às 16 horas.
  • 05 de fevereiro de 2003: início da operação comercial das 6 às 20 horas.
  • 04 de agosto de 2003: início da operação comercial das 5 às 22 horas.
  • 10 de agosto de 2008: início da operação aos domingos e feriados.
  • 17 de agosto de 2009: início da construção da estação Adolfo Pinheiro.
  • 23 de julho de 2011: retomada das obras de expansão da linha
  • 12 de fevereiro de 2014: inauguração da estação Adolfo Pinheiro
Gráfico
Mi.jpg
Integração Gratuita A partir do dia 15 de outubro de 2012, passa a ser gratuita a integração da Estação Largo Treze, na Linha 5 - Lilás, com as 56 linhas de ônibus do Terminal Santo Amaro. Hoje, o usuário paga R$ 1,65. O benefício está garantido até que estejam concluídas as obras da extensão da Linha, que vai chegar até a Estação Santa Cruz, integrando com a Linha 1 - Azul. A economia vai ser de R$ 36,30 por mês ou R$ 435,60 por ano.
Novas Tarifas
O passageiro que Quanto paga(até o dia 14/10/12) Quanto paga (A partir 15/10/12) Economia Mensal Economia Anual
Utiliza L9 (CPTM) ou L5 (Metrô) entre 9h e 10h
3,00
2,50
11,00
132,00
Faz integração com o ônibus na Estação Largo 13 da L5

no horário normal

4,65 (3,00 + 1,65)
3,00
72,60
871,20
Faz integração com o ônibus na Estação Largo 13 da L5 no horário madrugador
4,15 (2,50 + 1,65)
2,50
72,60
871,20
Usa os dois benefícios (L5 ou L9 entre 9h e 10h

+ integração gratuita na Estação Largo13)

4,65
2,50
47,30
567,60
Obs.: o cálculo leva em conta 22 dias úteis, ida e volta. No caso da redução entre 9h e 10h, é preciso lembrar que não há o desconto na volta para casa.

Fonte: secretário do Transportes Metropolitanos,Jurandir Fernandes


Linha5lilla.jpg
Obras da extensão 11,5 km do trecho Largo Treze à Chácara Klabin, com 11 estações (Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo,Santa Cruz e Chácara Klabin). A demanda prevista para 2015, quando a linha estiver completa, é de 771 mil passageiros/dia.
Investimento total R$ 9,1 bilhões
Fontes de Recursos(Em R$ mil)
  • BIRD – 1.141.978
  • BID – 604.666
  • BNDES – 2.692.218
  • PMSP – 221.196
  • GESP- 4.496.823
Financiamento Para o financiamento da expansão da linha, o Governo do Estado solicitou em 2009, inicialmente R$ 766 milhões de empréstimo junto ao BNDES. Este valor foi limitado pelo programa de ajuste fiscal do Estado à época. Em 2012, foi possível a aquisição de mais um empréstimo do BNDES no valor de R$ 1,9 bi, em recursos que deveriam ser utilizados em 2013 e 2014. Através da lei sancionada pelo governador, governo estadual solicita mais R$ 1,65 bilhão, em financiamento para compor o valor total do empreendimento, visando a desoneração do tesouro do estado.
Projeto apresentado em Brasília O governador Geraldo Alckmin se reuniu no dia 8 de julho de 2013, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, em Brasília, para mostrar o projeto de mobilidade urbana. O projeto contempla a 3ª fase da Linha 5, que liga Capão Redondo ao Jardim Ângela. Porém, no dia 31 de julho de 2013, a presidente Dilma em São Paulo, não liberou o repasse para a obra.
Novos trens O Metrô terá mais 26 trens novos em sua frota para operar na Linha 5 - Lilás. Já foram entregues para o Metrô 17 composições. A empresa fornecedora é a CAF, que venceu a concorrência internacional por R$ 615,1 milhões. Os trens serão produzidos em Hortolândia.
Início das obras 23 de julho de 2011.
Trecho Largo Treze e Adolfo Pinheiro Status: No dia 12 de fevereiro de 2014, foi inaugurada a estação Adolfo Pinheito. A nova estação deve receber cerca de 14 mil passageiros diariamente. Nesta fase inicial, funcionará gratuitamente de segunda a sexta-feira, entre 10h e 15h, até a estação Largo Treze. O governador Geraldo Alckmin, no dia 12 de dezembro de 2013, fez a primeira viagem de trem entre a estação Largo Treze e a futura estação Adolfo Pinheiro.
Adolfo Pinheiro-Chácara Klabin 2017
Terceira Fase Uma 3ª fase, com ligação entre o Capão Redondo e o Jardim Ângela, está em estudos preliminares. O projeto funcional já concluído e projeto básico em contratação, com previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2016.
Megatatuzão Em janeiro de 2014, entrou em operação o terceiro e último shield na Linha 5. Assim, pela primeira vez, três tatuzões estão perfurando simultaneamente uma mesma linha de metrô no Brasil. No dia 28 de janeiro de 2014, o primeiro megatatuzão, que partiu no dia 11 de setembro de 2013, chegou à estação Eucalipto.
Inicio da operação do Megatatuzão No dia 11 de setembro de 2013, iniciaram a cavação dos túneis do trecho da Linha. O Megatatuzão, máquina que vai cavar, iniciou as atividades no Poço Bandeirantes, próximo ao local onde será instalada a estação Campo Belo. Depois seguirá com destino à estação Chácara Klabin.
Descida do megatatuzão O Metrô realizou no dia 01 de julho de 2013, no Poço Bandeirantes, a descida da Roda de Corte do shield, conhecido como megatatuzão, que será utilizado para as escavações da Linha 5 - Lilás do Metrô (Capão Redondo - Chácara Klabin). O equipamento irá perfurar um túnel do Poço Bandeirantes, na região do Campo Belo, até o Poço Dionísio da Costa, na região da Chácara Klabin, passando pelas estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Este túnel ainda possibilitará a interligação com a Linha 1 - Azul, na Estação Santa Cruz, e com a Linha 2 - Verde, na estação Chácara Klabin.
Obras Civis: Divididas em 8 lotes:
  • Lote 1 (estação Adolfo Pinheiro, VSE - Ventilação e Saída de Emergência Delmiro Sampaio, 2 túneis singelos e 644 m de via permamente), a cargo do consórcio Construtor-Constran: 65% das obras civis concluídas
  • Lote 2 (estações Alto da Boa Vista e Borba Gato, 2 VSEs: Paulo Eiró e Alexandre Dumas), a cargo do consórcio Galvão-Serveng: 7,35% das obras civis concluídas
  • Lote 3 (estação Brooklin; 3 VSEs: São Sebastião, Roque Petrella e Bandeirantes; 1 poço: Conde de Itu; 2 túneis singelos em shield e 5,134 m de via permanente), a cargo do consórcio Andrade Gutierrez-Camargo Corrêa: 2,5% das obras civis concluídas
  • Lote 4 (estação Campo Belo e VSE Jesuíno Maciel), à cargo da empresa Mendes Júnior: 2,2% das obras civis concluídas
  • Lote 5 (estações Eucaliptos e Moema e VSE Rouxinol), a cargo do consórcio H. & Fonseca-T. Iesa: 7,5% das obras civis concluídas
  • Lote 6 (estações AACD-Servidor e Hospital São Paulo, 2 VSEs: Olímpico e Magalhães e um estacionamento de trens: Servidor), a cargo do consórcio Carioca-Cetenco: 1,8% das obras civis concluídas
  • Lote 7 (estações Santa Cruz e Chácara Klabin, 3 VSEs: Botucatu, Joel J. de Melo e Dionísio da Costa e 1 túnel duplo em shield e 5.743m de via permanente), a cargo do consórcio Odebretcht-OAS-Queiroz Galvão: 1,9% de obras civis concluídas
  • Lote 8 (1 pátio de Manutenção e Estacionamento: Guido Caloi), a cargo do consórcio CR Almeida-Consbem-: 11 das obras civis.
Sistema de Sinalização e Controle Contrato assinado com a Bombardier Consortium. Início dos trabalhos.
Demais sistemas (auxiliares, de alimentação elétrica, de telecomunicações e de controle e arrecadação de passageiros) - A contratar.
Construção da oficina de trens Teve início, no dia 09 de janeiro de 2013, à construção das fundações do Bloco A, edifício que vai abrigar oficina de manutenção dos trens da Linha 5 - Lilás, no futuro pátio de manutenção e estacionamento de trens Guido Caloi.
  • Características: o bloco A terá 16.135 m² de área construída e serão necessárias 648 estacas para estruturar a fundação total desse edifício. Quando concluído, esse bloco poderá receber simultaneamente oito trens para manutenção pesada e mais oito trens para manutenção simples.
  • Estrutura: o futuro pátio Guido Caloi vai ter oficinas de material rodante, sistemas eletromecânicos e áreas administrativas, que estarão divididas em 28 blocos. Também terá uma alça de acesso (logo após a estação Santo Amaro), 5.650 metros de vias e capacidade para estacionar 26 trens, podendo receber futuramente mais 24 composições.
  • Investimento: o valor total da obra é de cerca de R$ 297 milhões.
  • Capacidade: a área total do pátio é superior a 176 mil m² (o equivalente à área de 25 campos oficiais de futebol, 65x108m).
  • Previsão de entrega: em 2015


Ver também

2017

  • 19/03/2017 - Usuários da Linha 5-Lilás terão mais conforto e viagens mais rápidas

Os usuários da Linha 5–Lilás do Metrô terão mais conforto e agilidade. Neste domingo (19), o governador Geraldo Alckmin entregou seis novos trens da frota P e o novo sistema automático de sinalização e controle CBTC. “Os novos equipamentos, que têm ar condicionado, vagões contínuos e câmeras de vídeo, trazem mais conforto para os passageiros”, disse Alckmin.

A nova frota passará por uma etapa de testes, funcionando no trecho Capão Redondo – Adolfo Pinheiro, aos domingos. Essa fase possibilitará a realização dos ajustes finais e aperfeiçoamento do mais moderno sistema de controle de trens. A expectativa é estender essa operação também aos sábados a partir de abril, chegando à operação plena, durante todos os dias da semana, em maio.

Com a entrada em operação da Frota P, os usuários terão à disposição trens modernos e mais confortáveis que contam com sistema duplo de ar-condicionado, portas mais largas que facilitam o embarque e desembarque, corredor de passagem entre os carros, câmeras de segurança e monitoramento, sistema de freios antideslizantes e antiderrapantes, iluminação LED, mapa dinâmico que mostra as estações percorridas, sistema de detecção e combate a incêndios, além de mensagens sonoras gravadas, que se adequam ao nível de ruído dentro do trem e regulam seu volume automaticamente.

Já o CBTC – que em português significa Controle de Trens Baseado em Comunicações – é um moderno sistema de sinalização e controle de trens, que possibilita a diminuição do intervalo de trens com maior velocidade operacional e menor consumo de energia. Este sistema é utilizado nas linhas 15-Prata do Metrô e 4-Amarela.

“A viagem é mais confortável, nós fomos na cabine e vimos que é impressionante. O operador do Metrô observa praticamente, o sistema é todo automatizado, passa de uma linha para outra, frenagem mais suave e viagem mais confortável. Reduz 7% o consumo de energia e reduz a distância entre um trem e outro de 37 para 17 metros”, explicou o governador.

O Metrô está ampliando a Linha 5-Lilás em mais 10 km com 10 estações. Para atender a nova demanda foram comprados os 26 novos trens da Frota P que vão se juntar aos seis da Frota F, que operam no trecho já existente de 9,3 Km e 7 estações, entre Capão Redondo e Adolfo Pinheiro.

As obras de ampliação estão concentradas na construção e acabamento das estações, além da instalação dos sistemas elétricos, sinalização e comunicação. São 5.500 pessoas envolvidas nos trabalhos. Todos os três túneis por onde passarão os trens já foram concluídos. Em julho deste ano deverão ser abertas as estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin, ficando as estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin para dezembro de 2017. Em 2018 será finalizada a estação Campo Belo, no meio da linha. Quando completa, de Capão Redondo a Chácara Klabin, mais de 780 mil pessoas serão transportadas diariamente.

  • 20/05/2017 - 1ª viagem teste entre as estações Adolfo Pinheiro e Brooklin, da Linha 5 – Lilás do Metrô

Os trens da Linha 5-Lilás fizeram neste sábado (20) a primeira viagem teste entre as estações Adolfo Pinheiro e Brooklin. A Linha 5 vai ligar Capão Redondo até Chácara Klabin e fará interligação com as linhas 1-Azul, 2-Verde e 17-Ouro do Metrô, Linha 9-Esmeralda da CPTM e três terminais integrados de ônibus.

O governador Geraldo Alckmin participou da viagem teste e falou sobre o andamento das obras. “Aqui, na estação Brooklin, nós estamos com a via permanente pronta e três estações em acabamento, quase concluídas. Já fizemos a viagem de teste entre Adolfo Pinheiro e Brooklin, passando por Alto da Boa Vista e Borba Gato”, disse.

A viagem entre as duas estações já é possível porque os túneis estão totalmente construídos, com os trilhos e sistema elétrico implantados. O Metrô agora trabalha na finalização das estações Brooklin, Alto da Boa Vista e Borba Gato para abertura ao público em julho deste ano. Em março, o governador lançou o edital de concessão da Linha 5-Lilás. O leilão está previsto para o dia 4 de julho na Bovespa.

A demanda estimada para a linha completa, que ligará os bairros de Santo Amaro, Brooklin, Campo Belo, Moema e Vila Clementino, é de 800 mil passageiros por dia. “A Linha 5 é estruturante, pois interliga as linhas 9-Esmeralda, da CPTM, 17-Ouro, do Monotrilho, 2-Verde e 1-Azul do Metrô. Será um benefício muito grande para a população”, afirmou Alckmin. A expansão da Linha 5-Lilás vai acrescentar mais 10 km e 10 estações à linha.

Mais melhorias Esta etapa da ampliação também inclui o funcionamento integral e definitivo do novo sistema de controle automático de trens (CBTC), a partir das 4h40 de segunda-feira (22), entre as estações Capão Redondo e Adolfo Pinheiro, além do uso dos novos trens, que permitirá a circulação das composições sem restrição de velocidade em dias de chuva.

O CBTC é um moderno sistema de sinalização e controle de trens, que possibilita a diminuição dos intervalos com maior velocidade operacional e menor consumo de energia. É o mesmo sistema utilizado nas Linhas 2-Verde, 15-Prata e 4-Amarela.

Já os novos trens contam com sistema duplo de ar-condicionado, portas mais largas, corredor de passagem entre os carros, câmeras de segurança e monitoramento, sistema de freios antideslizantes e antiderrapantes (ABS), além de nova iluminação.


Extensão da Linha 5-Lilás

Em execução desde julho de 2009, a extensão da Linha 5-Lilás ligará o bairro Capão Redondo à Chácara Klabin.

O trecho em extensão terá 11,5 km e é composto por: via permanente em túneis duplos e singelos, escavados nos métodos NATM e Shield, 11 estações (Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin), 13 poços, 01 estacionamento de trens sob o Parque das Bicicletas, 01 pátio de estacionamento e manutenção (Guido Caloi), 01 subestação primária e 26 novos trens.

A Linha 5-Lilás integrará com a Linha 1-Azul, na estação Santa Cruz, e com a Linha 2-Verde na estação Chácara Klabin e com a futura Linha 17-Ouro na estação Campo Belo, além da integração existente do trecho em funcionamento com a Linha 9 - Esmeralda da CPTM na estação Santo Amaro. A linha quando concluída totalizará 19,9 km de extensão, 17 estações, 02 pátios de estacionamento e manutenção, com uma demanda prevista de 855.420 passageiros/dia.

Em 12 de fevereiro de 2014 entrou em operação a estação Adolfo Pinheiro, em 06 de setembro de 2017 as estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin, e em 02 de março de 2018 a estação Eucaliptos da extensão da Linha 5-Lilás.

O Metrô de São Paulo iniciou em 05 de abril de 2018 a operação assistida da estação Moema, ampliando o trecho operacional da Linha 5 – Lilás para 16,2 km, sendo que neste novo trecho, que vai da estação Eucaliptos até Moema, o funcionamento é de segunda-feira a sábado, sem cobrança de tarifa, no horário de atendimento das 10h às 15h. A operação assistida consiste na apresentação da estação aos usuários, garantindo a infraestrutura necessária para o seu funcionamento, permitindo a maturação dos equipamentos e de sistemas, como os de alimentação elétrica, sinalização e controle de tráfego, e também de telecomunicações.

A operação nesse formato segue o padrão internacional para a abertura de novas estações de metrô. O horário será ampliado gradativamente até chegar ao funcionamento pleno, das 04h40 à meia-noite, com cobrança de tarifa, como em toda a rede.

O trecho entre as estações Moema (exclusive) – Chácara Klabin está com obras em andamento, com serviços de acabamento e de implantação de sistemas sendo desenvolvido em ritmo intenso, o que irá permitir o início da sua operação por etapas nos meses de maio e junho de 2018. A estação Campo Belo, que está com serviços de acabamento em andamento, está prevista operar em dezembro de 2018.

A conclusão do trecho Adolfo Pinheiro - Chácara Klabin deve impulsionar o desenvolvimento das regiões ao longo da Linha 5-Lilás, permitindo o acesso dos moradores de toda a cidade aos serviços ali oferecidos nos centros empresariais importantes localizados no Largo Treze, av. Santo Amaro, av. Vereador José Diniz, av. Roque Petroni Júnior, av. Morumbi, Marginal Pinheiros e os centros comerciais de Moema, Ibirapuera, Vila Clementino e Vila Mariana.

A operação plena da linha proporcionará o acesso a complexos hospitalares como Santa Casa de Misericórdia de Santo Amaro, Hospital Alvorada, Hospital do Servidor Público Estadual, Hospital Edmundo Vasconcelos, Hospital de Rim e Hipertensão, Maternidade do Amparo Maternal, Hospital São Paulo, Hospital Santa Cruz, Hospital Sepaco e centros especializados para tratamentos como AACD, APAE e Lar Escola São Francisco que serão providos de transporte com acessibilidade e rapidez.

As previsões de demanda indicam que esta linha não será pendular, apresentando carregamentos constantes nos dois sentidos, o que comprova sua utilidade para a rede.


Links externos