Notas oficiais - SP-264 20142305

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Data: 23 de maio de 2014

Órgão: Logística e Transportes

Veículo solicitante: Jornal Cruzeiro do Sul

Resumo:

veículo solicita saber quais trechos perderão área de acostamento com a duplicação?

Nota enviada:

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) esclarece que o projeto executivo de obras para a SP-264, entre Sorocaba, Votorantim e Salto de Pirapora, com 17,4 quilômetros de extensão, foi desenvolvido com base em estudos que levaram em consideração as reais necessidades apresentadas por motoristas e usuários da rodovia, assim como dados técnicos, como Volume Diário Médio (VDM) e geometria.

As obras na rodovia têm início em Sorocaba (LOTE 1), em um trecho urbanizado, com diversos acessos a bairros e propriedades lindeiras. Desta forma, em 3,5 quilômetros de extensão, a rodovia contará com duas faixas em cada sentido e uma terceira faixa para desaceleração aos acessos. Neste subtrecho, a rodovia não possui acostamentos, pois o projeto executivo apontou maior necessidade na implantação das faixas adicionais, calçadas e ciclovias.

Ainda no LOTE 1, sentido Votorantim, a rodovia possui 4 quilômetros de pista a ser duplicada, com duas faixas de rolamento em cada sentido, mais acostamento com 3 metros de largura.

A SP-264 permanecerá com as mesmas características, com pista duplicada e acostamentos, por mais 6 quilômetros no sentido a Salto de Pirapora, aí já no LOTE 2, trecho considerado com características rurais.

A partir da entrada ao Município de [[Salto de Pirapora, a SP-264 tem características de Avenida, pela extrema urbanização do entorno, inclusive com comércios e propriedades. Desta forma, o projeto executivo apontou que a seria de extrema importância à implantação de calçadas e ciclovias aos usuários. Desta forma, a rodovia possui 2,2 quilômetros de pista, com calçadas e ciclovias e mais 1,7 quilômetros somente com calçadas.

É importante ressaltar que nos trechos da SP-264 onde não há acostamentos, o limite de velocidade é igual ou inferior a 60 km/h, o que traz melhores condições de segurança aos usuários que por ventura, necessitem parar o veículo e solicitar o recurso de socorro mecânico ou guincho prestados pelo DER.

Cabe esclarecer ainda que todos os dispositivos de acesso, como rotatórias, serão remodelados e padronizados, garantindo mais segurança aos motoristas. Sobre as paradas de ônibus, o DER informa que as empresas municipais responsáveis pelo transporte coletivo deverão entrar em contato para a implantação dos pontos de ônibus nos trechos necessários.


Notas oficiais
201120122013201420152016201720182019