Rodovia Anhanguera - SP-330

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Atualizado em: 18 de junho de 2014

Características

A rodovia está situada dos DRs de Campinas, Ribeirão Preto, São Paulo, Rio Claro.

Segundo a Confederação Nacional do Transporte - CNT 2013, a Rodovia Anhanguera (SP-330) é a segunda melhor estrada do país. Pesquisa também revela que nove das dez melhores, mais seguras e mais econômicas vias para os motoristas pertencem ao Programa de Concessões do Estado de São Paulo

GA entregou, no dia 21 de maio de 2013, 23 km de novas marginais e terceiras faixas na rodovia, aumentando em 50% a capacidade da via nos trechos.

Obras previstas

Projeto: ampliação e modernização do trevo do km 307. Status: a Concessionária Autovias está desenvolvendo um projeto executivo. Etapas: pela complexidade, o projeto será entregue em etapas. Previsão: a primeira será entregue até dezembro de 2012 e as demais na sequência, segundo a Karla Bertocco. Investimento previsto: R$ 100 milhões. Não há definição se o responsável será a concessionária ou o próprio Governo do Estado. A decisão sairá após a conclusão de todo o projeto executivo.

Desapropriação:

GA assinou em 02 de outubro de 2012, o Decreto de Utilidade Pública (DUP) para a desapropriação de áreas onde serão construídas marginais na Rodovia Anhanguera (SP 330). O DUP será publicado no Diário Oficial do Estado. O trecho ao qual o decreto faz referência vai do km 110 ao km 120, na região de Americana e Sumaré.

Obras em andamento

Em 04 de maio de 2012, foram iniciadas as obras de um pacote de investimentos na Rodovia Anhanguera (SP-330). Serão 37 km de pistas marginais e 32,9 km de terceira faixa na Anhanguera, no trecho entre Jundiaí e Americana. Investimento: R$ 142 milhões. VDM: 104 mil. Cidades beneficiadas: Campinas, Sumaré, Nova Odessa, Americana, Jundiaí e Louveira.

Construção de marginais:

Projeto 1: Implantação de vias marginais do km 86 ao km 92, Pista Sul. Trecho: Valinhos, Campinas. Início: maio de 2013. Previsão de término: abril de 2014. Investimento: R$ 17,3 milhões.

Projeto 2: Implantação de vias marginais do km 89 ao km 92, Pista Norte. Trecho: Valinhos, Campinas. Início: maio de 2013. Previsão de término: dezembro de 2013. Investimento: R$ 8,6 milhões.

Projeto 3: Implantação de vias marginais do km 103,5 ao km 110, pistas Norte e Sul. Trecho: Campinas, Sumaré. Início: maio de 2012. Previsão de término: janeiro de 2014 (pista sul) e abril de 2014 (pista norte). Investimento: R$ 36 milhões

Projeto 4: Marginais entre o km 110 e o km 120 (Sumaré-Americana). Início: maio/2012. Término: outubro/2014. Investimento: R$ 32,6 milhões.


Terceira faixa:

Projeto 1: Implantação da 3ª faixa do km 71 ao km 76 Pista Norte e do km 74 ao 71 Pista Sul. Trecho: Louveira a Vinhedo. Início da obra: maio de 2013. Previsão de entrega: abril 2014. Investimento: R$ 12,4 milhões.

Projeto 2: Implantação da 3ª faixa do km 76 ao 74, Pista Sul. Início da obra: maio/2013. Previsão de entrega: segundo Theodoro Pupo, a obra já está pronta e pode ser anunciada por GA, mas tinha como previsão ser entregue oficialmente até o final deste mês de novembro. Investimento: R$ 3,1 milhões.

Projeto 3: Implantação da 3ª faixa do km 120 ao km 128. Trecho: Americana. Início da obra: maio/2012. Previsão de entrega: segundo Theodoro Pupo, até o final de novembro de 2013. Investimento: R$ 23,9 milhões.

Projeto 4: Implantação da 3ª faixa entre o km 62 e o km 71. Trecho: Jundiaí e Louveira. Previsão de término: abril de 2013.

Projeto 5: Implantação da 3ª faixa do km 120 ao km 128, nos dois sentidos. Trecho: Americana e Limeira. Previsão de término: abril de 2014.

Projeto 6: Faixas adicionais - Implantação entre o km 128 e o km 147 (Americana-Limeira). Investimento: R$ 25,7 milhões. Início: maio/2014. Término: abril/2015.

Outras obras:

  • Reconstrução de quatro passarelas para pedestres e de um viaduto, além da implantação de quatro viadutos e de ponte sobre o Córrego Tijuco Preto. Previsão de término: abril de 2014.

20/04/16 - Complexo Viário de Jundiaí: Começaram nesta quarta-feira (20) as obras na Rodovia Anhanguera (SP-330) que irão facilitar o acesso a bairros e à rodoviária de Jundiaí, além de melhorar a mobilidade dentro do município por facilitar a transposição da rodovia em dois novos pontos. O início das intervenções, que terão investimento de R$ 204,6 milhões (valores base de julho/2015), contou com a presença do governador Geraldo Alckmin.

Obras concluídas

2018

  • 05/04/2018 - Alckmin entrega Viaduto das Valquírias, 2ª etapa do Complexo Jundiaí

O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta quinta-feira, 5, a conclusão do Viaduto das Valquírias, obra que viabiliza a transposição da Rodovia Anhanguera (SP-330), na altura do km 58,9, em Jundiaí. O novo dispositivo interliga as Avenidas Osmundo dos Santos Pellegrini e Doutor Jacyro Martinasso, criando uma importante ligação entre bairros como Medeiros, Eloy Chaves, Fazenda Grande e o centro da cidade, retirando esse tráfego da rodovia e, principalmente do trevo do km 58. A obra, inicialmente prevista para julho, foi entregue com antecedência e compreende a segunda etapa do Complexo Viário de Jundiaí.

“Essa obra vai desafogar o trânsito, melhorar a fluidez na Anhanguera e a mobilidade urbana na região”, salientou o governador.

A primeira fase da intervenção foi entregue em novembro do ano passado, com a conclusão das obras do Trevo da Av. 9 de Julho, na região da rodoviária de Jundiaí. A nova etapa compreende, além do viaduto que faz a transposição da Anhanguera (SP-330), melhorias nas marginais, sentido interior, entre o km 58,4 e o km 60,2. O investimento na atual etapa das obras é de R$ 123,1 milhões, totalizando aporte de R$ 230,6 milhões, considerando as duas fases – valor proveniente da receita do pedágio. Durante as obras desta segunda fase foram gerados 280 postos de trabalho.

As intervenções e obras no viário do trecho do Viaduto das Valquírias que ficaram a cargo da concessionária CCR Autoban foram realizadas com acompanhamento e fiscalização da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). As obras complementares dessa segunda fase a serem feitas no viário municipal e que ficaram a cargo da Prefeitura de Jundiaí já foram parcialmente executadas. Com isso, em um primeiro momento, o Viaduto das Valquírias irá operar apenas no sentido bairro-centro e, com a finalização das intervenções da Prefeitura, em ambos os sentidos.

Os principais benefícios das obras do Complexo Viário de Jundiaí são a melhoria na mobilidade, conforto e segurança tanto para os usuários da Rodovia Anhanguera quanto do viário municipal. Além de melhoria da ligação entre a Zona Oeste de Jundiaí e a região central do município, com consequente redução do percurso e tempo de viagem. O trecho atende, em média, 40 mil veículos por dia em cada sentido da rodovia. O Viaduto das Valquírias faz a interligação entre a Avenida Osmundo dos Santos Pellegrini e a Avenida Doutor Jacyro Martinasso, criando uma importante ligação entre bairros como Medeiros, Eloy Chaves e Fazenda Grande e o centro da cidade, retirando esse tráfego da rodovia e, principalmente do trevo do km 58.

Balanço sucessivo

Para permitir o vão livre de 90 metros do viaduto, foi utilizada uma técnica construtiva chamada balanço sucessivo, na qual a estrutura do viaduto é construída apenas com o uso de treliças metálicas, sem nenhum tipo de escoramento.

Primeira fase

A primeira etapa do Complexo Viário de Jundiaí foi entregue em 15 de novembro do ano passado pelo governador Geraldo Alckmin. Foram implantadas alças de acesso da pista sentido capital da Rodovia Anhanguera para a Avenida 9 de Julho, além de realizadas melhorias e ordenação nas marginais. O investimento nessa etapa foi de R$ 107 milhões. Com a entrega da obra, os ônibus que saem da rodoviária passaram a contar com acesso direto para a pista sentido São Paulo da Anhanguera, melhorando a mobilidade e proporcionando ganho no tempo de viagem. As obras do Complexo beneficiam todos os 410 mil moradores de Jundiaí, além dos próprios usuários da Anhanguera com ganhos de segurança e fluidez.

Ver também

Links externos